YouDo...

WorkShop de PintuA

monotorizado e assistido pelo artista plástico e pintor

ADOLFO CARVALHO

e a presença do modelo masculino

Rui Cabrita

Fim de semana sábado 10 Outubro pelas 15h

...é de trazer a tira-colo, de acordo com a vontade do artista:

* Suporte de trabalho como tela, folhas de pintura/desenho...

* Materiais de Pintura... aguarela, acrílico, carvão, giz, guache, lápis de cor, pastel, sanguínia, tinta...

* Pinceis...

* Cavalete...

Sangria para os participantes

M U S I C A A A . . .

In Tento Trio_8 Outubro ás 22h
Acerca do IN TENTO TRIO
In Tento Trio é um projecto idealizado desde 2005 pelo pianista Fernando Pessanha.
O objectivo inicial passou pela reunião de vários elementos e linguagens musicais, onde se poderão encontrar a fusão de Jazz/Rock com elementos Clássicos/minimalistas.
Após alguns anos de experiências com várias formações, o projecto ganhou, finalmente, vida com o baixista Pedro Reis e o baterista João Melro.
http://www.myspace.com/intentotrio
video

13 DIAS 13 EVENTOS...


Começo por Agredecer a todos os Participantes /Artistas /Colaboradores /Técnicos /Entusiastas e Clientes que se mostraram curiosos suficientemente para aparecerem...

Dúvidas !!

Está no tereno 13Dias /13Eventos. Tenta-se cativar um pouco mais a atenção dos visitantes. Fica apresentado seguramente a diversidade e o reconhecimento pelo Programa exposto.
Parece-me agora tudo isto, uma loucura, à qual dê importancia, não fosse a credibilidade de todos aqueles que, com provas ja à muito dadas, nada disto teria existido.
Não há como não despertar, tudo o que supostamento nos deveria impelir a uma profunda participação e após esta ter tido a aderencia desejada, estarmos a recordar momento a momento, iremos AFIRMAR que «não é aceitavel que um País com a vida cultural que tem, se agache, se subordine.»

...mais vale uma MÁ DECISÃO do que UMA NÃO DECISÃO...

O nosso Muito OBRIGADO
Osvaldo Rocha

1º A N I V E R S A R I O do PÁTIO B@R_13 Setembro às 21h30


Poesia à mesa

escritores convidados:

Rui Dias Simão
Miguel Godinho
Pedro Afonso
Vitor Cardeira

Fernando Esteves Pinto
org. "4Águas" Editora

1º A N I V E R S A R I O do PÁTIO B@R_ 12 Setembro às 22h


Inspirado no Godai da filosofia japonesa, o equilíbrio entre os cinco elementos (ar, água, terra, fogo e éter), Godai Project apresenta um projecto original com influências do blues e rock ao jazz latino numa fusão de sonoridades com fortes raízes portuguesas e mediterrânicas.

A formação musical conta com a participação de Inês Graça (voz), João Cuña (guitarras acústica_eléctrica_portuguesa), Alex Caravela (guitarras acústicas), sendo a secção rítmica assegurada por João Pires (bateria) e Nuno Martins (baixo).

1º A N I V E R S A R I O do PÁTIO B@R_ 11 Setembro às 22h


Lembrar
ELVIRO ROCHA GOMES
«Como um amor com outro amor se paga,
eu neste mundo onde o amor não é avontade
fiquei surpreendido ao ver haver o vosso
e não sei se a minha paga ao valor dele corresponde.
Entretanto anuncio
que a celebrar Vossa presença aqui
e dar um ar de gala a esta reunião
a fala em vossa honra
que nesta sala tem ingresso
Minerva ma ditou inteiramente em verso»
Elviro Rocha Gomes


com o actor Rui Cabrita
e o pianista Ricardo Coelho
entre amigos do professor e escritor

café com arte... na Chaf@rica


Pouco importa se não somos apelidados de Espaço Cultural, apraz-nos dizer que o trabalho não cabe “ao café”, mas se este serve para modificar nem que seja um só pensamento, o de não se deixar aprisionar, então este facto não lhe tira valor nem vigor, antes lhos acrescenta. Nas palavras de Agostinho da Silva “ O espirito afirma-se resistindo às classificações”. O nosso trabalho não vai além de uma tentativa de melhorarmo-nos através de experiências, saberes e conhecimentos que nos são entregues por quem se predispôs a apresenta-los, expandindo assim o saber e os conhecimentos de todo o tipo, podendo em simultâneo melhorar-se, pois a repetição traz atrás de si o melhoramento. O Iluminismo enquadra-se no Séc. XVIII; é conhecido pelo “Séc. das Luzes”, entende-se por luminismo um meio para atingir o progresso. É presença marcante de pares opostos e complementares: despotismo e tolerância; razão e emoção; progresso e tradição; filósofos e anti filósofos; clássicos e românticos; cultura e politica; o respeito do gosto único versus a defesa de inspiração individual e um pensamento que defende as artes mecânicas e os artesãos. Grosso modo predomina a razão e a lógica, a defesa da tolerância e a veemente permuta de ideias e de criações. O centro do conhecimento desloca-se da corte para os cafés, clubes e redações de imprensa política. A “Chafarica”, espaço café com arte é criada mediante dois conceitos: O primeiro incide na exposição tanto quanto possível, no encadeamento dos conhecimentos humanos, a segunda, os princípios gerais de base e os que lhe dão corpo e substância, o negócio em si. Encontramos neste perfil, componentes que são um “reflexo” do Séc. das luzes. Pretendemos deste modo concretizar um sonho, o de trabalhar em algo de que se gosta e que se acredita. A “Chafarica”, um café com arte, pretende tornar-se um lugar de convívio; de tertúlia; de confidência/inconfidência; de reflexão; de crítica; de inconformismo; de discussão… A “Chafarica” como espaço de memória/desmemória; de cultura; de letras; de ciência; de artes; de construção e desconstrução; de encontro e desencontros… A “Chafarica” como lugar de lazer; de conforto; de ócio; de emoção… A “Chafarica” é um espaço de sociabilidade; de convivência entre pessoas. A “Chafarica” pretende vir a ser um espaço onde o individuo inconformado poderá trabalhar-se, seja no individual, seja no coletivo, com todas as suas consequências inerentes daí resultantes para o desenvolvimento social. Somos aprendizes, pretendemos melhorar, partindo do princípio que cada trabalho tem um cariz pedagógico e que este é contínuo, demorado e eterno. … mas a “Chafarica” pretende também ser um simples café, onde chegamos, bebemos e saímos… com vontade de voltar.


Os Cafés como Espaço de convívio e discussão estão a fechar e a empobrecer a memória das cidades.

Os Cafés como Espaço de convívio e discussão estão a fechar e a empobrecer a memória das cidades.
Espaço de Sociabildade de convivência, tiveram um papel crucial no desenvolvimento da consciência colectiva e critica face ás ideologias hegemónicas. Foram históricamente lugares de pensamentos alternativos onde se divulgaram projectos Culturais e Politicos. Os Cafés têm perdido um pouco de centrabilidade cultural perante outros espaços, à custa de um "desenvolvimento perverso" há riqueza e diversidade Cultural que se está a perder, mas não tem que ser assim. Os Cafés não têm necessariamente de desaparecer, transformar (o) Espaço em Café de Espaço Cultural, Eventos recreativos e Lúdicos, são algumas sugestões e acima de tudo recriar novas formas de convívio. Dando assim inicio ao Projecto "Gritando Silênciosamente..."

Nº de Curiosos...

Traffic Counter